Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

João Távora



Sexta-feira, 24.07.15

Box

Uma vantagem da box de TV por cabo é poder-se assistir mais tarde a debates entre comentadores e saltar a Constança Cunha e Sá, Pedro Marques Lopes, Ana Gomes ou o Carlos Abreu Amorim que por razões de saúde estou proibido de ouvir.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por João Távora às 17:01

Sexta-feira, 24.07.15

Presidentes

Como os meus amigos sabem sou objector de consciência no que respeita à disputa das presidenciais, mas ao ouvir com atenção Rui Rio tomei nota de como dentro da facção que representa tem um discurso bem menos equívoco que o de Marcelo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por João Távora às 17:00

Sexta-feira, 24.07.15

Exílio

Ainda bem que a NASA descobriu o Kepler 452b, um planeta "gémeo" da nossa mal-amada Terra. Com a vida como está e as eleições em Outubro é bom termos uma escapatória.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por João Távora às 17:00

Quinta-feira, 23.07.15

Odivelas

Nu¦ücleo Odivelas_14.jpg

Ontem foi para mim uma honra e privilégio, em representação da Real Associação de Lisboa, travar contacto pessoal com a Senhora Presidente da Câmara de Odivelas. Susana Amador de forma franca e amistosa deu-nos a conhecer as dinâmicas e desafios deste grande Município e comprovou-nos (se necessário fosse), a férrea determinação com que há tantos anos batalha pela afirmação da sua tradição e história.

Fotografia Nuno Albuquerque

Autoria e outros dados (tags, etc)

por João Távora às 19:00

Segunda-feira, 20.07.15

A tempestade perfeita

decapitation-d-Olivaro.jpg

Ao contrário das mais antigas democracias europeias, a arquitectura da república portuguesa está edificada para favorecer a conflitualidade entre instituições.

Não só as prerrogativas do “semi-presidente” da facção triunfante o convidam ao choque com o Parlamento (a sua dissolução, no limite), como o sistema eleitoral saído da nossa última revolução não favorece as maiorias, pelo contrário, promove a instabilidade política. Perante o impopular ajustamento económico que inevitavelmente se vai prolongar pela próxima legislatura, o quadro pode tornar-se verdadeiramente aterrador: imagine-se que à eleição de um governo minoritário e à proverbial incapacidade dos grandes partidos gerarem consensos, se junta um presidente lírico e “interventivo”. Para evitar uma tempestade perfeita que nos atire para uma sequela de mau gosto da tragédia grega, resta-nos confiar na sabedoria dos portugueses que várias vezes já nos surpreendeu com improváveis maiorias absolutas. Só assim se evitará o caos duma legislatura com os políticos às turras, mais preocupados com vantagens imediatas para as suas tribos que com o interesse público.

 

Publicado originalmente no Diário Económico 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por João Távora às 16:49

Sábado, 18.07.15

Quando "governar é criar descontentes" *

Passos-Coelho-Parlamento-fev20151.jpg

Disse-o e repito: as consequências da actuação do governo Syriza na Grécia põem em evidência o sucesso da estratégia escolhida pelo governo português nos anos de chumbo do resgate. Assentada a poeira desta dura e persistente crise, estou convicto que a História reservará um lugar de destaque a Passos Coelho pela sua coragem e tenacidade. Mas no curto prazo isso não é perceptível para a maioria das pessoas: as feridas abertas pelos efeitos colaterais do duro e inacabado ajustamento da nossa economia, que levará tempo a produzir resultados dignos de nota, condicionarão os resultados das próximas legislativas. Com erros próprios, uma comunicação social de esquerda e os condicionalismos das trágicas circunstâncias herdadas, a coligação não conseguirá evitar pagar uma pesada factura pelos mais de três anos de excepcional desgaste. 

Por tudo isto é que me parece que o PSD e CDS só ganhariam evitar qualquer espécie de triunfalismo na campanha eleitoral que se vai iniciar. Pelo contrário deveriam adoptar uma propaganda fundada na sobriedade, no humilde reconhecimento do sofrimento causado a tantas pessoas e famílias sacrificadas pelo ajustamento levado a bom termo. A implosão dum estéril modelo económico assente na construção civil, no investimento público e consumo interno nunca deixaria de causar vítimas concretas e um assustador alarme social como aquele que vivemos não há muito tempo. Não há malabarismos estatísticos nem propaganda que acelere a cicatrização dessas feridas ainda recentes. Os eleitores não deixarão de castigar a boa actuação duma governação de emergência, a que a História se encarregará de homenagear e prestar justiça.

 

* Anatole France

 

Publicado originalmente aqui

Autoria e outros dados (tags, etc)

por João Távora às 16:32

Sexta-feira, 17.07.15

E se estiver a precisar do dinheiro deles?

Se eu chegar junto dos meus irmãos na praça pública de peito feito a chamar-lhes nomes feios corro o risco de ser humilhado.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por João Távora às 11:14

Sexta-feira, 17.07.15

O resto é conversa

No caso da Grécia, o problema da esquerda portuguesa e das suas "antenas" nos orgãos de comunicação social, é que, o aprimorar da tragédia Grega e a solução encontrada desacredita toda a narrativa utilizada contra a estratégia (bem sucedida) do governo português no resgate de Portugal. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por João Távora às 11:13

Quarta-feira, 15.07.15

Europa

Europa.jpg


Nunca fui um incondicional europeísta, antes pelo contrário; mas uma das virtudes que reconheci à adesão de Portugal à então CEE nos anos 80 foi o facto desse projecto, chamuscados que emergíamos então do terror do PREC, constituir uma clara barragem à ascensão de projectos extremistas na política doméstica. Esse caminho garantia a conversão do regime português num modelo de democracia liberal em que os nossos filhos poderiam crescer em liberdade. É por isso muito estranho por estes dias ouvir certas vozes indignadas com o “despotismo da Europa” e o facto das instituições europeias fazerem frente às veleidades de um governo de esquerda radical da Grécia, país que nos últimos anos desbaratou de forma dramática muito do seu crédito. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por João Távora às 10:02

Domingo, 12.07.15

Os mal vestidos

varoufakis_aegina3.jpg

Durante a última semana li por aí os mais bizarros comentários daqueles que lamentam a afastamento de Varoufakis por uma maligna conspiração, personagem cuja principal sedução passava por ser sexy  e… “mal vestido”. Não é de estranhar que a adolescentocracia eleja “mal vestido” como sinal de virtude na construção dos seus mitos. Eu tenho para mim que algum Rock n’ Rol até é coisa boa no gira-discos ou pista de dança. Mas acontece que estes “mal vestidos” que tomaram o poder já não tocam guitarra e de poetas têm pouco. Atenas a arder na televisão talvez para eles seja como um festival de verão, pleno de romance e idealismo. Dá boas capas de jornais e reportagens empolgantes. The show must go on. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por João Távora às 22:31

Quarta-feira, 08.07.15

Mudam-se os tempos...

Em jovem decorei o meu número de bilhete de identidade. Agora não me serve de nada, só querem saber o meu número... de contribuinte.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por João Távora às 20:27

Terça-feira, 07.07.15

O espírito ateniense

esparta.jpg

Começo com uma inconfidência: sou originário duma família em que se cruzam as mais antigas casas aristocráticas portuguesas, com o seu auge na primeira metade século XVIII, que em Lisboa distribuía audácia, cultura e erudição. Quando era pequeno não passava à frente daquele magnífico palácio em Santos onde o meu avô ainda nasceu, sem que o meu pai me recomendasse a responsabilidade e o legado das minhas origens. Acontece que a decadência económica da minha família, mais por aselhices práticas do que políticas, muito acentuada no século XIX, atingiu o zénite na sua geração. Por isso deploro o caricato da discrepância duma história grandiosa com uma mesa sem pão em que muito se ralha com pouca razão. 

Magoa aprender, mas a soberania como a auto-estima obrigam ao engenho e muito trabalho, a ter dinheiro para pagar as contas. Temo que o resultado do referendo na Grécia signifique um irreparável prejuízo para as negociações dos credores com os gregos. Inevitável será a assunção duma atitude espartana para a recuperação do antigo espírito ateniense.

 

Publicado originalmente no Diário Económico

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por João Távora às 10:27

Sexta-feira, 03.07.15

Poder

A política é arte do possível. Quantas vezes nos confrontamos com esses limites na vida, com a família, com os filhos, com o trabalho. Lidar com o poder é enfrentarmos a nossa real falta de poder, que trocamos por consensos, pelos equilíbrios, contra as rupturas, cujas consequências têm de ser sabiamente pesadas. Por forma a salvaguardar um bem comum, mais valioso que a nossa vontade.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por João Távora às 09:50

Quarta-feira, 01.07.15

Las Vegas

gay-parade17.jpg

 Se o Supremo dos Estados Unidos da América tivesse proibido a pena de morte eu vestia-me com o arco-íris. Já o conceito de casamento que vingou depois do Maio de 68 não é mais que um negócio para advogados. Em todo o ano de 2014 na Paróquia do Monte da Caparica o número de matrimónios realizados foram apenas quatro. Las Vegas alastra-se por todo o ocidente, venceu a adolescentocracia.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por João Távora às 09:49




Sobre o autor

João Lancastre e Távora nasceu em Lisboa, que adora. Exilado no Estoril, alienado com política e com os media, é sportinguista de sofrer, monárquico, católico e conservador. No resto é um vencedor: casado, pai de filhos e enteados, é empresário na área da Comunicação e do Marketing. Participando em diversos projectos de intervenção cívica, é dirigente associativo e colabora em vários blogues e projectos comunicação política e cultural.


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Instagram

Instagram

calendário

Julho 2015

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031