Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

João Távora

16.Jul.19

As contas fazem-se no fim

João Távora
Parece-me que já vi este filme algumas vezes. Com o prenúncio de um resultado histórico das esquerdas, que arriscam em Outubro alcançar 2/3 dos lugares no parlamento pela primeira vez desde o 25 de Abril, a direita a dois meses da campanha eleitoral entretém-se furiosamente à caça da própria cauda. São indisfarçáveis as contagens de espingardas, os julgamentos e distribuição de culpas que escapam entre dentes dos barões, sargentos e soldados que gravitam neste espectro (...)
11.Jul.19

Liberdade de imprensa

João Távora
"A redacção de O Liberal (Partido Progressista), tendo sido insultada pelo sr dr. Eduardo Souza, director do Diário da Tarde (Partido Regenerador), entendeu dever desforçar-se. Havia quatro campos à escolha: - o tribunal judicial; - o tribunal d' honra; - o duello ; - o desaggravo pessoal. O tribunal judicial foi logo posto de parte - era ridículo. O tribunal d' honra era impossível com o sr dr Eduardo de Souza que é um desqualificado. O duello, pelos mesmos motivos, egualmente (...)
08.Jul.19

É isto

João Távora
"Fatuidade inútil seria alardear apelidos heróicos se em cada geração novos merecimentos os não ilustrassem." Luís de Almeida Braga
05.Jul.19

Cinco do sete

João Távora
Ou de como há 40 anos uma inclita geração de políticos atreveu-se a ameaçar a "estabilidade" revolucionária portuguesa com uma longa e tenebrosa noite fachista, interrompida abruptamente com a tragédia de Camarate.  Na Fotografia: Em cima: Henrique Barrilaro Ruas, António Cardoso Moniz, Vasco Pulido Valente, Carlos Macedo, Leonardo Ribeiro de Almeida, Adelino Amaro da Costa. Em baixo: Gonçalo Ribero Telles, Francisco Sá Carneiro e Diogo Freitas do Amaral.
26.Jun.19

Algumas notas sobre a temática da comunicação e as eleições legislativas de 6 de Outubro

João Távora
Dentro de três meses vamos ter eleições legislativas e por isso são já muitos os militantes partidários nervosos com a hipótese duma redentora estratégia de comunicação. Desse modo, não se coíbem de dar sentenças, quase nunca sobre as propostas e ideias, mas quase sempre sobre os meios por eles considerados aconselháveis para chamar a atenção do povo para a bondade da sua sigla e do seu líder. Se aceitamos como verdadeiro o adágio popular “de médico e de louco todos (...)
22.Jun.19

Um sentido para a vida

João Távora
Era uma vez uma pessoa que, para não se maçar muito, passava a vida a matar o tempo embrenhada em toda a sorte de jogos e paciências. Foi já no fim da vida, não sem um leve sentimento de frustração, que percebeu que fora bem sucedido: já lhe faltava pouco tempo para matar.
18.Jun.19

Festa da família cristã

João Távora
No passado Domingo na Quinta das Conchas ao Lumiar decorreu durante o dia a "Festa da Família", uma jornada com actividades diversas organizada pelo Patriarcado de Lisboa que contou com a participação de vários movimentos católicos e culminou numa missa campal presidida pelo Cardeal Patriarca que reuniu centenas famílias e onde se abençoou cerca de 200 casais que celebravam este ano 10, 25, 50 e 60 anos de casamento. Estranha é a invisibilidade mediática deste acontecimento, pela (...)
10.Jun.19

Dia de Portugal sempre!

João Távora
Claramente uma improbabilidade geopolítica nascida há quase 900 anos, Portugal é um dos Estados Nação mais antigos da Europa, e concedo não padece de uma crise identitária ou careça de especial esforço de afirmação patriótica. Talvez o facto de sermos esse “dado adquirido” explique porque razão tratamos tão mal os nossos símbolos e a nossa História, a qual quase ninguém conhece, assim como os seus heróis, principalmente se não se distinguiram a jogar à bola e por (...)
05.Jun.19

Amanhã jejua o preto, ainda bem que não é hoje! *

João Távora
Há dias, no parque de estacionamento do ginásio que frequento, um automóvel cor-de-rosa, que exibia bem visível na traseira um autocolante contra a exploração de petróleo na costa portuguesa deixou-me a pensar…  Afinal os valores ecologistas da feliz proprietária (presumo que fosse uma senhora) daquela viatura acabavam nos limites da nossa fronteira, não prescindindo ela de se locomover num veículo com motor de explosão, com carburante importado de terras recônditas. É (...)