Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

João Távora

Cinquenta anos a estrumpfar

 



 


Descubro pelo Diário de Notícias de hoje que os Estrumpfes, aqueles simpáticos duendezinhos azuis, estrumpfam este ano meio século de existência. Da autoria de Peyo (1928-1992), esta fabulosa série de banda desenhada nasce quando aqueles minúsculos seres emparceiraram uma divertida aventura de Jean et Pirlui, dois prazenteiros escudeiros medievais em La Flûte à Six Schtroumpfs. Foi tal o sucesso dos personagens que logo ganharam autonomia iniciando-se assim uma bem sucedida série com o álbum Les Schtroumpfs noirs. Os Estrumpfes, iluminaram a minha infância, sempre estrumpfando contra os maus, cortejando a bela Estrumpfina, e de caminho colhendo um pouco mais de Salsa Parrilha (o que quer que isso seja) para gulosamente se estrumpfarem. 


Gloriosos bonequinhos estes, que as americanas técnicas de animação jamais conseguiram dignificar: eu fico-me pelos coloridos e graciosos álbuns que ainda hoje me fazem sorrir e encantar.

2 comentários

Comentar post