Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

João Távora

16.Mar.20

Estado de sítio (3)

João Távora
Coronavírus hoje em Portugal – 331 casos, 0 vítimas mortais Ontem foi provavelmente o primeiro domingo em muitos séculos de história da cristandade sem missas dominicais publicas. Para marcar o domingo ontem decidimos almoçar fora… na varanda. O almoço foram umas pernas e peitos de frango que eu mesmo temperei e assámos no forno e comemos com batatas fritas. A nossa despensa está guarnecida como habitualmente, na expectativa de que podemos nos reabastecer quando necessário no (...)
14.Mar.20

Estado de sítio (2)

João Távora
"Como se trava uma onda destas? Parando o País agora, quando a curva de incidências ainda está a subir muito depressa ou mais à frente? Os ingleses acreditam que o pico epidemiológico só vai ocorrer dentro de 10 a 14 semanas e que os esforços deste lado do Canal da Mancha estão errados. Preferem proteger a população mais idosa e grupos de risco e deixar que o vírus alastre um pouco mais para se conseguir uma espécie de imunidade comunitária. A nossa estratégia é outra, (...)
13.Mar.20

Estado de sítio (1)

João Távora
Coronavírus hoje em Portugal – 112 casos, 0 vitimas mortais A epidemia do Coronavírus mudou as nossas vidas. Vivemos tempos absolutamente extraordinários sem dúvida, com as escolas fechadas, sem futebol, e até as missas foram canceladas, coisa nunca vista. Nem os republicanos do 5 de Outubro ambicionaram a tanto. Resta saber quem vai pagar a factura desta travagem a fundo existencial. Cá por casa não estamos sujeitos a quarentena, apenas obrigamo-nos à prudência dum (...)
12.Mar.20

A pergunta que se impõe?

João Távora
O açambarcamento em geral é um comportamento irracional e deplorável. Mas porquê esta fixação no papel higiénico? Alguém me sabe explicar? É que normalmente os supermercados só encerram na véspera do fim do mundo. Tenhamos calma, portanto.
07.Mar.20

Um monárquico e as eleições presidenciais

João Távora
Com as eleições presidenciais daqui a pouco menos de um ano, por detrás da cortina mediática da epidemia do Coronavírus já se sentem os rumores de duas candidaturas prontas para agitar a modorra doméstica: à direita, a do polémico André Ventura, já confirmada; e à esquerda, a provável da diplomata pouco diplomática Ana Gomes. A eleição, que se previa um passeio tranquilo para Marcelo Rebelo de Sousa, promete revelar-se muito animada — quem sabe até simulando uma (...)
27.Fev.20

Como destruir uma marca

João Távora
O anunciado novo “rebranding” da marca CTT em que desaparece o clássico cavalo, cinco anos depois de ter despendido milhares de euros numa outra ´parece-me uma aberração. É exemplo acabado da vertigem parola com que em Portugal, quando não se sabe mais o que fazer, se finge começar tudo do zero para parecer moderno e eficiente (...)
22.Fev.20

Derrotados

João Távora
Estamos nesta vida terrena para sermos derrotados, nem que seja pela velhice e pela morte. Quanto maior for a nossa derrota mais intensa e virtuosa terá sido a nossa vida. Os governos que não nos venham prometer a felicidade.
20.Fev.20

I rest my case

João Távora
Uma enfermeira que conheci nos anos noventa em Coimbra, num sitio de sofrimento, disse-me algo que nunca mais esqueci: é preciso respeitar profundamente os padecimentos de cada pessoa, pois a sua dor é sempre a maior e a mais insuportável de todas, porque é ela e mais ninguém que a sente na pele, com a lente da sua sensibilidade e fragilidades, circunstanciais ou não. Este exemplo, ao contrário do que parece, serve para perceber a importância do olhar exterior para a pessoa (...)
18.Fev.20

Anti-racismo

João Távora
A igreja de Pedro, herança de Jesus Cristo, no Vaticano, numa paróquia de Lisboa, numa aldeia de África ou em qualquer lugar da terra, é o maior exemplo de promoção e sucesso de convivência interétnica e racial que eu conheço. Orgulhamos-nos disso, pois.
17.Fev.20

Chega de escroques

João Távora
Ainda estou a tentar perceber quem André Ventura queria atingir com este tweet, para além do claro propósito de relativizar da atitude alarve da claque vimaranense ontem com Marega. Não percebo se fala como adversário político da deputada Joacine ou como comentador benfiquista ressentido da derrota de sábado na Luz e adversário do Porto desprovido de simpatia pelos seus atletas, ou se simplesmente está a usar a velha táctica dos esquerdistas quando se vêm apertados de chamar (...)