Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

João Távora

Delírios dum defeso atípico

bola-futebol-sporting-cp.jpg

Mesmo na perspectiva de estádios sem público por causa da pandemia do medo, o defeso da bola com as promessas de reforços milagrosos para as equipas é sempre emocionante para os adeptos mais entusiastas. As temperaturas do estio conjugadas com a indolência das férias contribuem para um ambiente de expectativa eufórica que os jogos a doer tratarão de acalmar. A julgar pelas notícias e pelos comentários dos especialistas, o Benfica este ano surgirá com uma equipa para disputar o pódio das competições europeias e o campeonato doméstico uma mera formalidade, um monótono passeio com o vencedor já vaticinado. O fenómeno mediático proporcionado pela promessa de chegada do messiânico Jesus repete-se agora com o alvoroço da possibilidade da contratação de Cavani. Tudo em prol da salvação de Luís Filipe Vieira, a quem, com a justiça à perna não convém perder o lugar onde se protege.

Dito isto, as coisas até podem não ser assim lineares, não digam nada a ninguém. Tenho ideia de que retornos normalmente não funcionam bem e que as estrelas em fim de carreira são mesmo cadentes. Já o Sporting com um bom treinador e estilo de jogo definido parece-me no bom caminho, a contratar valores seguros, jogadores emergentes com provas dadas e necessidade de afirmação noutros patamares. A construção de uma equipa sem desespero ou euforias.

E como eu tenho saudades de ir à bola…

Publicado originalmente aqui

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.