Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

João Távora

E as saudades que deixou?

Jamais poderia esquecer aquelas fases entre leituras e escritas em que o meu Pai se sentava no seu coçado cadeirão da sala para, em cima de um gigantesco livro de brasões que lhe servia de tabuleiro, se dedicar furiosamente àquela paciência de cartas que, quando bem sucedida, acaba com os naipes organizadinhos por ordem crescente. Suspeito que era a forma como materializava simbolicamente uma ordem lógica para o mundo, com o qual viveu quase sempre em conflito. 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.