Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

João Távora

Estado de sítio (14)

mascaras3.jpg

Coronavírus hoje em Portugal – 7.443 casos, 160 vítimas mortais

À terceira semana de confinamento, fica comprovado que ensinar é uma especialização importante, e que se compreende que um pai esteja dispensado de ser professor dos seus filhos. É um enorme desafio assumir os dois papéis, mais ainda quando a idade da criança se aproxima perigosamente da adolescência, obcecada por comida, youtubers e jogos electrónicos. Custa-me desperdiçar estes últimos tempos de alguma cumplicidade zangado por causa duma redacção preguiçosa ou com um ataque de nervos à conta duns exercícios de matemática trapalhões que eu não sei corrigir. O potencial desgaste a que nos expomos é considerável, para mais em prisão domiciliária. De resto a vida continua, um dia de cada vez, diz que somos uns privilegiados, principalmente se comparando com a família de Anne Frank.
Quanto ao mais continuo a torcer o nariz a este clima de medo que vem sendo instigado, e a duvidar da sustentabilidade do confinamento a médio prazo, que como bem assinala hoje João Miguel Tavares, é um privilégio burguês. Se a solidão descamba em paranóia, a fome mata mesmo.
Enquanto Graça Freitas e a DGS se desgastam diariamente com estatísticas engatadas e sucessivas contradições (vai acontecer com as máscaras o que está a acontecer com os testes laboratoriais, depois de menosprezado o seu uso ainda vai ser obrigatório assim cheguem ao mercado) o nosso primeiro-ministro transfigura-se em estadista, profere sentenças fofinhas e até já prenuncia as consoantes quase todas, decidido que está em disputar um lugar na História segundo os especialistas. E arrisco a uma previsão: quando o pico da crise de saúde pública passar e vier a pesada factura duma economia em frangalhos, com o país na rua a reclamar empregos e pão, à primeira oportunidade António Costa sai de cena passará a batata quente a outro(s). Incensado como mártir das circunstâncias, para chegar a presidente, só terá de se recolher com discrição para o sofá com um pacote de pipocas. Só temos aquilo que merecemos.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.