Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

João Távora

24.Ago.15

La Marseillaise

João Távora
Eu que sou um pacato conservador geralmente até gosto de canções revolucionárias talvez pelo seu lado romântico, uma estética a que ninguém é imune nestes dias de modernidade. Não é o caso da belicosa e feroz “Marselhesa” que os franceses adoptaram como hino, aqui numa performance de 1905 pela Garde Républicaine, gravada num cilindro de cera da minha colecção, que apesar de partido se consegue (...)
28.Ago.13

Music Hall

João Távora
  ANY OLD THING WILL DO   Letra e Música de Fred Murray e George Everard - 1906   I've been single all my lifeThought at last I'd take a wifeDressed up in my best todayNo mistake, I looked all gayWent to a matrimonial agentHe was most politeHe said, 'What sort of wife do you want?'I said, 'Oh, that's all right,   Chorus: 'Any old thing will doAny old thing will do-do-doAs long as she's got moneyShe'll suit me to a TGot no nose, got no legs,Got no teeth, got no hairI don't care - any (...)
26.Ago.13

O império do fonógrafo

João Távora
 Os fonógrafos popularizaram-se muito no final do Século XIX: eram bastante funcionais e, além de muito competentes na reprodução, eram vendidos com um kit para gravação coisa que tornava o objecto muito mais completo e interessante do que os gramofones, ainda algo toscos. Concebidos numa cera castanha bastante frágil em que o registo se degradava em pouco mais de dez audições, originalmente os cilindros tinham de ser gravados, cada um deles, ao vivo. Posteriormente (...)
12.Ago.13

Os cilindros Sterling

João Távora
 Foi quando expirou a patente de Thomas Edison dos seus cilindros gravados em 1904 que Louis Sterling lançou em Inglaterra uma nova produtora de nome "Sterling Record Company". Ao fim de 22 semanas de operação as vendas atingiam um milhão de cópias vendidas, sucesso atribuído à qualidade do som obtido através duma solução de cera prensada muito suave que (quase) competia com os (...)
05.Ago.13

Monólogos e declamações

João Távora
  Com o advento da gravação sonora também se popularizaram os monólogos e declamações. Aqui está num cilindro de Edisson o poema “Premier sourire du Printemps” do consagrado poeta escritor francês Theophile Gautier.
10.Jan.13

Catita, mesmo!

João Távora
Acompanhado pela banda filarmónica de Edison, Billy Murray canta a canção cómica “Forty-five minutes from Broadway” tema principal do musical com o mesmo nome da autoria de George M. Cohan estreada a 1 de Janeiro de 1906.Banda Filarmónica de Edison no Estúdio de Gravação em Nova Iorque 1906.