Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

João Távora

19.Ago.20

Delírios dum defeso atípico

João Távora
Mesmo na perspectiva de estádios sem público por causa da pandemia do medo, o defeso da bola com as promessas de reforços milagrosos para as equipas é sempre emocionante para os adeptos mais entusiastas. As temperaturas do estio conjugadas com a indolência das férias contribuem para um ambiente de expectativa eufórica que os jogos a doer tratarão de acalmar. A julgar pelas notícias e pelos comentários dos especialistas, o Benfica este ano surgirá com uma equipa para disputar o (...)
11.Fev.20

Antes que uma tragédia aconteça

João Távora
Quem ingenuamente julga que a questão da violência das claques e da delinquência no futebol é um problema exclusivo do Sporting, está muito enganado. Porque será que o Estado que se quer meter em tudo, até na nossa vida privada, assobia para o lado nesta matéria tão urgente? Temo que o problema só seja encarado com seriedade quando acontecer uma grande tragédia - o monstro é incontrolável e se não for enfrentado, depois de matar alguém irá matar o futebol. Aqueles que de (...)
16.Fev.16

Um d' Os melhores golos do Sporting

João Távora
O golo de que vos venho falar foi marcado em Março de 1974 por Hector Yazalde (Buenos Aires, 29 de Maio de 1946 - Buenos Aires, 18 de Junho de 1997), o primeiro de um desafio que o Sporting viria a perder em Alvalade por 5 – 3 naquele que foi o derby mais antigo de que tenho memória de presenciar ao vivo, para mais (...)
11.Ago.14

Um prognóstico conservador

João Távora
Volvidas centenas de contratações factuais e fictícias, profusamente anunciadas e comentadas nos jornais, rádios e televisões, termina por estes dias a estação tola do futebol. Durante mais de um mês os clubes candidatos ao título foram exibindo os seus reforços, quais messias salvadores, promessas de glórias e quimeras. Aos adeptos sequiosos, a cada jogo de treino e (...)
06.Jan.14

O Eusébio é de todos

João Távora
Umas palavras sobre Eusébio, não tanto o grande homem que genialmente goleou o destino, mas o mito que nesta hora de luto o País inteiro celebra em comoção unanime. Ao contrário do que acontece com os adversários em convicções ou valores, cujo triunfo constitui sempre uma ameaça aquilo que cada lado acredita, no âmbito da competição desportiva que se rege na esfera (...)
23.Nov.13

Rui Patrício

João Távora
  Os dois recentes erros graves cometidos nos jogos com Israel pela Selecção e no derby pelo Sporting são a excepção à regra que caracteriza um guarda-redes de qualidades invulgares como Rui Patrício. Graves erros só acontecem aos guarda-redes de classe, com presença assídua em grandes palcos onde, destacados pelos holofotes, se confrontam com enormes desafios de (...)
20.Nov.13

Heróis do Mar

João Távora
  Não tenho muita paciência para o discurso azedo ou ressabiado de alguns pseudo-intelectuais que surge sempre que o futebol luso triunfa internacionalmente. Não me parece inteligente menosprezar uma “arte” como essa que move tanta paixão pelo mundo fora, uma "indústria" capaz de engrandecer o nome do País e desse modo acalentar tanto entusiasmo e orgulho pelos (...)
07.Mai.13

Maio de má memória

João Távora
Nunca me hei-de esquecer daquela fatídica semana de Maio de 2005 em que o Sporting perdeu o campeonato para o Benfica e três dias depois a liga Europa para o CSKA, jogo que deixou o meu enteado literalmente em lágrimas. Desses dias alucinantes ainda sobeja no porta-bagagens do meu carro uma bandeirola verde leonina de fixar no vidro que ainda não foi estreada. Nessa quarta-feira alucinante, os urros esfusiantes dos lampiões no bar por debaixo da minha casa deixaram marca. Nesse ano (...)
25.Mar.13

Virar a página?

João Távora
  Passado algum tempo (demasiado) em que o Sporting vem sendo para mim um assunto profundamente desagradável e com pouco que ver com futebol, eis que estou de volta aos assuntos da bola para umas curtas considerações.  Em primeiro lugar lamentar o triste espectáculo que resultou da comunicação dos resultados eleitorais, condicente com o que se vem verificando nas quatro linhas: um desastre de improvisos e amadorismo gritante. Em segundo, sendo eu avesso ao estilo de Bruno (...)